Itaú de Minas, 24 de maio de 2018 Ajuda | Dúvidas Frequentes | Fale Conosco | Mapa do Site | Parcerias OSCS

Prefeitura de Itaú de Minas já quitou mais de 400 mil reais em dívidas trabalhistas

Dívidas referem-se a ações impetradas em mandatos anteriores por conta de não terem respeitado o direito dos trabalhadores

Embora atravessando uma das maiores crises já enfrentadas no país, a Prefeitura Municipal de Itaú de Minas tem se visto obrigada a arcar com dívidas trabalhistas herdadas de mandatos anteriores.

Como já mencionado anteriormente em algumas oportunidades, a atual administração estava aguardando notificação judicial para iniciar pagamentos de direitos trabalhistas que servidores tinham e não receberam em outros mandatos, obrigando-os à acionarem a justiça.

Ronilton e Tacilinho, dupla que está no comando da cidade, iniciou o pagamento das primeiras decisões, totalizando um montante de aproximadamente 400 mil reais até o momento.

Segundo Ronilton, esses pagamentos estão numa fase onde não é possível adiá-los, “infelizmente foram empurrando esses pagamentos e acabaram por deixar para serem pagos em nosso mandato. Sabemos dos direitos dos trabalhadores e procuramos cumprir à risca todos os nossos compromissos neste sentido. O que acabou por nos desestabilizar e complicar ainda mais a situação financeira do município, são esses pagamentos que herdamos. Não estavam em nosso planejamento, mas estamos arcando com os que estão saindo decisões.”

Já Tacilinho, lembrou do montante que já foi pago e como isso atrapalha a saúde financeira da cidade. “Como o próprio Ronilton já mencionou, são direitos dos trabalhadores, estão em fase de execução e uma decisão judicial é para ser cumprida. Mas não podemos fechar os olhos para o impacto orçamentário destes 400 mil reais em nosso governo. Temos ainda ciência de que mais ações estão para serem executadas e teremos que pagar. Reforço que não questionamos o direito do trabalhador, tão pouco a decisão judicial. O que acabou por nos atrapalhar foi esse montante. Mas lembro ainda que, se os direitos dos trabalhadores tivessem sido respeitados no passado, isso não estaria acontecendo.”

A atual administração ainda tem centenas de ações de trabalhadores contra a prefeitura e deve, em breve, ter que dispor de mais algumas centenas de milhares de reais para fazer os acertos dos direitos que tinham e não receberam de administrações passadas.