Itaú de Minas, 25 de maio de 2019 Ajuda | Dúvidas Frequentes | Fale Conosco | Mapa do Site | Parcerias OSCS

Prefeito vai a Belo Horizonte negociar dívida com a Cemig

Uma comitiva de Itaú de Minas foi a Belo Horizonte, nesta segunda-feira (22), para negociar a dívida do município com a Cemig. A interlocução das negociações foi feita pelo deputado estadual Cássio Soares a pedido do prefeito Ronilton Gomes Cintra.

O grupo foi formado pelo prefeito Ronilton, pelos vereadores Denis Donizetti Magalhães (Denão), Donizetti Amorim (Zetinho), Antônio dos Reis Nunes (Nunes), Gilmar Chaves (Zicão) e Matheus Vilela; pelos assessores jurídicos Pedro Nunes (Executivo) e Fábio Figueiredo (Legislativo); e pelos assessores da Câmara Adenilza Andrade e Wallison Parreira.

A municipalidade deve aproximadamente R$ 1,5 milhão para a estatal mineira. Porém, o Estado de Minas Gerais deve, ao todo, R$ 7,5 milhões ao município de Itaú de Minas.

“Infelizmente é de conhecimento de todos a atual realidade financeira que o município atravessa; enquanto recebemos da dívida do Estado com o município; apenas 12 parcelas, das 33 acordadas com o governo dentro do nosso mandato sem juros e sem correções, não é justo que a municipalidade assuma essa dívida com juros exorbitantes. Então estamos correndo atrás para diminuir esses juros ao máximo que conseguirmos”, expõe o prefeito.

A proposta da administração municipal foi pagar a divida em 33 parcelas; uma vez que o governo mineiro fez um acordo com os municípios para pagar a divida atrasada do governo Pimentel também em 33 parcelas. Desta forma, o município pagaria a divida com o recurso que ele tem para receber.

Já a proposta da Cemig foi para pagar a divida da seguinte forma: 01 entrada de 10%, cerca de R$141.000,00, mais outras 59 parcelas de aproximadamente R$ 31.000,00. Se esta proposta fosse aceita, os juros cobrados da CEMIG ficariam em torno de R$ 600.000,00. Esta exorbitante cobrança de juros não foi aceita pelas lideranças.

Com o impasse, a negociação não foi concluída, ficando as propostas para análise das partes. A administração municipal espera que a estatal se manifeste rapidamente, concordando com a proposta apresentada pela administração municipal ou com uma nova contra proposta, que seja mais justa e vantajosa para nossa cidade.